bg_azul_escuro.jpg

Fruto de 8 anos de experiência facilitando processos com indivíduos e grupos, criamos uma metodologia viva que faz parte da essência de todos os nossos trabalhos.

Nossa metodologia já impactou mais de 6000 pessoas em mais de 5000 horas de treinamentos e vivências.

Conheça um pouco mais de trechos de cada um de nossos pilares:

Planejar, olhar, sentir e planejar

"É uma dança entre planejamento e olhar. Onde o primeiro constrói as bases da vivência e o segundo permite-se desconstruí-las, de acordo com o que surge do grupo no momento."

Leitura de grupo e seus integrantes

"haverá momentos que exigem intervenção por parte do facilitador, momentos onde o grau de intervenção é subjetiva e específica para aquela situação e outros momentos onde o facilitador não tem o direito de intervir e, a melhor facilitação é abrir o espaço para o grupo ou indivíduo específico."

Ambiente emocional positivo

"Entender e respeitar os próprios
sentimentos, preparando-se para
entender e respeitar o sentimento do
grupo. Isso significa criar o ambiente
emocional propício para o seu
desenvolvimento e o desenvolvimento
dos outros."

Relacionamento, afeto e comprometimento

"Tal conjuntura de conexão entre todos é condição básica para a criação de um
ambiente positivo que potencializa o
desenvolvimento das atividades e
dinâmicas propostas ao longo de uma
vivência."

Presença ativa e responsabilidade

"Estar presente é mais do que estar no
local fisicamente, é estar realmente
participativo e com vontade de estar lá.
Desta maneira, será possível desfrutar
de um momento agradável que inspira
o crescimento pessoal de todos os
envolvidos."

Fluxo de energia

"O objetivo é que a energia esteja de
acordo com o momento específico da
vivência, para que o grupo aproveite
com eficácia todos os aspectos que o
processo possibilita."

Equilíbrio de poder

"iluminar o potencial de crescimento pessoal que se estabelece com um maior equilíbrio de poder entre facilitador e grupo, entendendo que o mesmo raciocínio pode também aplicar-se a outros contextos sociais."

Escutar para conectar

"Escutar para conectar pode ser
entendido como o ato de ouvir e
escutar o outro (e o seu próprio interior)
de forma verdadeira, presente e atenta
para assim, criar conexões para um
relacionamento."